Caldaro – Riva del Garda

103km, 2.753m de altitude acumulada
10h20min de tempo total de percurso

Recompensa por dormir em um local alto, iniciamos o último dia com uma longa descida para retornar ao vale, com visuais e sensações incríveis. Percorremos um longo trecho por estradinhas secundárias, em meio a extensas videiras e ao lado de belíssimos paredões de pedra, vez por outra ultrapassados por grupos em motos ou em conversíveis antigos. A região é propícia para viagens panorâmicas, e não só para ciclistas.

Nossa maior superação do dia – e possivelmente de toda a viagem! – chegaria após os 30 km iniciais, passando a cidade de Mezzolombardo: a escalada em direção às monumentais Dolomitas de Brenta. Subida de categoria 1, somando 14 km de extensão e quase 800 m de altitude acumulada, mostrou-se um desafio potencializado com os mais de 400 km já pedalados nos dias anteriores. Com algumas paradas para recuperar o fôlego e repor as energias, somente este trecho nos consumiu 3 h 30 min de tempo total.

O esforço gigante foi plenamente recompensado por visuais inacreditáveis que, a partir da cidade de Andalo, se descortinaram no longo trecho percorrido nas vizinhanças das famosas formações. Foram 30 km de uma descida sensacional, passando por lugares incríveis como o Lago de Molveno.

O trecho final nos guardava um último desafio: vencer o Passo del Ballino: mais 10 km escalando uma montanha de categoria 2. Precisávamos de uma pausa antes do esforço derradeiro, e passávamos pela pequena cidade de Campo Lomaso quando nos deparamos com um antigo muro de pedras onde uma discreta placa indicava um “ristorante”. Foi quando o acaso nos premiou com um momento inesquecível.

Com vista para montanhas e com extensos canteiros de rosas, descobrimos uma autêntica “villa” do século XIX, repaginada como o charmoso hotel Villa di Campo. Ficamos ali por quase duas horas, conhecendo e curtindo o local. Em meio a um jardim de sonhos, duas rodadas de prosecco celebraram a conquista que estava prestes a se concretizar.

A proximidade com o fim da jornada forneceu a força extra que as pernas pediam. Ultrapassada a última montanha, menos de 20 km nos separavam do nosso ponto de chegada. Desfrutamos da última e longa descida com um sorriso que não cabia no rosto. A cada vilarejo e a cada curva, o Lago de Garda se tornava mais nítido e próximo. A nossa TransAlp estava chegando ao fim.

Atravessamos parte da cidade de Riva del Garda, nosso destino final, e logo chegamos à beira do lago. Da ciclovia, avistamos a praia de pedra onde nossos filhos nos aguardavam junto aos meus pais e minha sobrinha. Um arrepio tomou conta do corpo, e as lágrimas correram livres, externando uma emoção infinita pelo sentimento de conquista e superação.

A chegada foi puro êxtase, e ter nossos filhos e o restante da família juntos tornou aquele momento ainda mais especial. Conseguimos! Foram 500 km, 5 dias, 4 países e a realização de um sonho!

Seguindo a tradição, entramos nas águas geladas do Lago de Garda, selando a conclusão dessa inesquecível jornada.