Viagem com crianças

PASSEIOS, PRAIA, MONTANHA, EXTERIOR

Viajar em família permite estarmos juntos de um modo muito mais próximo, profundo e intenso do que é possível no dia a dia, e só por isso cada viagem é sempre muito especial!

Desta forma, criamos momentos nossos, especiais e memoráveis. Escrevemos nossa própria história e colecionamos vivências e recordações em conjunto.

Uma viagem traz paisagem exótica, uma língua que não entendem, uma comida inédita, rotinas e hábitos diferentes… São vivências que seriam muito abstratas ou superficiais se apenas relatadas como histórias ou vistas na TV.

Talvez essas experiências possam ajudá-los a entender a grandiosidade e as possibilidades do nosso mundo, a respeitar as diferenças, a aumentar a curiosidade, descobrir e entender coisas novas – afinal, as crianças aprendem com exemplos.

Mas incluir filhos pequenos nas aventuras exige planejamento e muitos cuidados – dos itens essenciais da bagagem como medicamentos, roupas de sobra e brinquedos, ao cronograma de horários para dormir e se alimentar.

As crianças sofrem com a quebra de rotina. Mesmo sem rigidez, sempre procuramos respeitar os horários usuais de acordar e dormir e manter as principais refeições, pois atrasar muito um almoço ou esticar demais a hora de ir para a cama acaba interferindo nas próximas atividades programadas. O desafio é ainda maior quando a viagem tem uma diferença grande de fuso horário.

Algumas dicas já fazem parte da nossa rotina de viagens. Para encarar voos longos, brinquedos, jogos e materiais de desenho são ótimos para entretenimento. Durante caminhadas pelas cidades, são essenciais na mochila casaco, brinquedo, água e um lanchinho. E por aí vai…

Mais importante é ter consciência de que as crianças pautam o ritmo e determinam o que funciona na viagem. É fundamental pensar sob a ótica dos pequenos, respeitando seus interesses e também suas restrições de envolvimento, sempre reservando espaço para eles brincarem.

Por exemplo, quando atravessamos os Alpes de bicicleta, paramos em um parquinho no caminho para os meninos brincarem. Em Veneza, na falta de parquinhos, a diversão era assustar as pombas – daí os levamos na Coleção Peggy Guggenheim, e depois ficamos um tempão no alto de uma ponte acenando para as gôndolas e barcos que passavam em um pequeno canal.

Com bom senso e equilíbrio, é possível calibrar as expectativas para não frustrar os adultos e não sobrecarregar as crianças.

PRAIA COM CRIANÇAS

HOTÉIS COM CRIANÇAS

MONTANHA COM CRIANÇAS

EXTERIOR COM CRIANÇAS

PASSEIOS COM CRIANÇAS

CICLOTURISMO COM CRIANÇAS

VIAGENS COM CRIANÇAS